Telefone: (11) 3509-6478 / (11) 2924-7665 / Cel e ZAP: (11) 99391-8844

Entendemos que a área da Saúde continuará com um grande volume de vagas no primeiro semestre ao menos e, já pensando na Páscoa, os setores de Logística e Varejo. A demanda é, principalmente, de posições na base da pirâmide (empregos operacionais, com salários menores) — prevê Renata Motone, coordenadora de Recursos Humanos da Luandre.

As oportunidades podem surgir, mas para não errar em aceitar ou sair de um emprego, será preciso acompanhar o cenário profissional e ter cautela. O Page Group, grupo de consultorias de Recursos Humanos, publicou um guia com as médias salariais em diversas áreas e as previsões do que deve subir, cair ou ficar estável no ano.

De acordo com Otávio Granha, gerente sênior da consultoria Page Personnel, em geral, ainda não é a hora certa para pedir aumento no trabalho.

Ainda é um momento de incerteza, com mão de obra disponível. Se a pessoa é extremamente qualificada e muito demandada pelo mercado, pode barganhar. Caso contrário, melhor esperar — disse ele, contando que apesar dos salários subirem neste ano, a baixa qualificação pode ser um entrave para a empregabilidade: — No Brasil, e mais ainda no Rio, existe uma falta de qualificação geral, seja para o posto de analista que recebe R$ 4 mil ou para gerência, com salário de R$ 20 mil. Língua estrangeira ainda é um diferencial, assim como domínio de softwares, como o Excel. E outro problema é a produtividade baixa. Existe uma grande falta de foco no trabalho.

 

 

 

Ana Clara Veloso 

Fonte:  EXTRA